5 set 2019

Como evitar foliculite? Confira 5 maneiras de se prevenir!

104      0

Quase todo mundo já sofreu e quis saber como evitar foliculite. Também chamada de pelos encravados, trata-se de uma condição comum da pele, na qual os chamados folículos pilosos ficam inflamados. Normalmente, é provocada por uma infecção fúngica ou bacteriana. No início, aparecerem pequenos caroços vermelhos ou espinhas de cabeça branca ao redor dos folículos — os minúsculos espaços […]

Quase todo mundo já sofreu e quis saber como evitar foliculite. Também chamada de pelos encravados, trata-se de uma condição comum da pele, na qual os chamados folículos pilosos ficam inflamados.

Normalmente, é provocada por uma infecção fúngica ou bacteriana. No início, aparecerem pequenos caroços vermelhos ou espinhas de cabeça branca ao redor dos folículos — os minúsculos espaços onde cada cabelo cresce. Então, a infecção pode se espalhar e se tornar uma ferida de difícil cicatrização.

Apesar da aparência incômoda, a foliculite não costuma ser grave, mas pode ser dolorida, irritante e bem desconfortável. Já as infecções mais graves costumam causar perda de cabelo e cicatrizes. Quer saber como se livrar ou prevenir esse problema? Continue a leitura e descubra!

Entenda o que é foliculite

A causa mais comum da foliculite é devido à infecção dos folículos pilosos com a bactéria Staphylococcus aureus. Também pode ser causada por fungos, vírus ou até uma inflamação provocada por pelos encravados.

Os sinais da foliculite incluem vermelhidão, inchaço e, muitas vezes, formação de pústulas (pequenas bolhinhas com pus) limitadas aos folículos pilosos. É possível identificar um cabelo envolvido por tecido vermelho e inchado. Em alguns casos, isso está associado à coceira, sensibilidade e dor leve.

A foliculite surge em qualquer lugar da pele em que haja cabelo, incluindo o couro cabeludo. Porém, é mais normal nas coxas, nádegas, virilha, pescoço e axilas — locais onde o atrito é mais comum.

Conheça a diferença entre os tipos

Os dois principais tipos de foliculite são o superficial e o profundo. A foliculite superficial envolve parte do folículo, enquanto o tipo profundo envolve todo o folículo e geralmente é mais grave. Confira, a seguir, os principais subtipos. 

Foliculite superficial

Foliculite bacteriana

Esse tipo é muito comum. Costuma ser marcado por saliências que coçam, além de serem brancas e cheias de pus. Acontece quando os folículos capilares são infectados por bactérias, geralmente a já citada Staphylococcus aureus. Tais bactérias vivem normalmente em nossa pele, mas causam problemas quando entram em nosso corpo por meio de um corte ou outro ferimento.

Foliculite por pseudomonas

Nesse caso, você desenvolve uma erupção de manchas vermelhas, redondas e com coceira. Surgem cerca de 1 a 2 dias após a exposição à bactéria que a causa. Ocorre em ambientes úmidos como banheiras de hidromassagem e piscinas nas quais os níveis de cloro e pH não são bem regulados.

Pseudofoliculite da barba

Trata-se uma irritação da pele causada por pelos encravados. Ela afeta principalmente homens com cabelos encaracolados ou grossos que os raspam muito perto da raiz, e é mais perceptível no rosto e pescoço. Também pode surgir na virilha, especialmente em pessoas que usam lâminas na depilação da região. Provoca coceira e deixa a região com marcas escurecidas.

Foliculite ptirospórica

Esse tipo produz pápulas (um tipo de lesão) crônicas e vermelhas, além de coceira nas costas e no peito e, por vezes, no pescoço, ombros, braços e face. É causado por uma infecção por fungos e atinge adolescentes e homens.

Foliculite profunda

Sicose barba

Pequenas inflamações que surgem no lábio superior, queixo e mandíbula. Podem se tornar recorrentes em quem se barbeia todos os dias. Em casos mais graves, deixam cicatrizes.

Foliculite gram-negativa

Surgem em pessoas que fazem uso prolongado de antibióticos para a acne. Isso porque esses medicamentos mexem com o equilíbrio natural da pele e fazem com que as bactérias se desenvolvam.

Furúnculos e carbúnculos

Ocorrem quando os folículos pilosos ficam profundamente infectados com bactérias estafilocócicas. Aparecem de forma repentina, com pápulas rosadas ou vermelhas e doloridas. Em seguida, enchem de pus e crescem, causando mais dor. Um carbúnculo é um aglomerado de furúnculos que quase sempre deixa cicatrizes.

Foliculite eosinofílica

Afeta principalmente pessoas com HIV/AIDS. Os sintomas incluem coceira intensa e manchas na pele recorrentes de espinhas que se formam perto de folículos pilosos no rosto e na parte superior do corpo. Uma vez curada, a pele afetada pode ficar mais escura. A causa da foliculite eosinofílica ainda não é conhecida.

Saiba como evitar o problema

Você pode tentar prevenir ou evitar que a foliculite volte com as dicas a seguir. 

1. Evite roupas apertadas e sintéticas

Tais tecidos não deixam nossa pele respirar normalmente. Já as roupas apertadas ou desconfortáveis causam atrito com a pele e ajudam a causar ou agravar a foliculite.

2. Mantenha a pele limpa e seca

Quanto mais limpa a pele estiver, menos chances de bactérias e fungos se desenvolverem. Use sabonetes antissépticos e não se esqueça de secar bem depois do enxágue.

3. Atenção na hora de se barbear

O melhor é reduzir o ato de se barbear até que as lesões estejam melhores. Além disso, antes de tirar a barba, é importante lavar o rosto com sabonete antibacteriano e água morna. Procure aplicar uma boa quantidade de loção de barbear e fazer movimentos no sentido do crescimento dos pelos. Não se esqueça de usar lâminas descartáveis para evitar a contaminação dos folículos.

4. Invista na esfoliação

A esfoliação e a limpeza de pele ajudam na remoção de células mortas e impurezas, o que combate inflamações. Porém, é importante cuidar para não exagerar e machucar o local. No geral, esfoliar uma vez por semana é suficiente.

5. Evite espremer espinhas

As lesões não devem ser manipuladas, ainda mais se você não estiver com as mãos bem limpas. Uma vez que o ato pode agravar o quadro, espalhar a infecção para outros locais, e causar manchas escuras na região atingida.

Conheça os tratamentos

As opções de tratamento podem ser variadas e dependem da causa, local e gravidade do quadro. Em muitos casos, a lesão reage melhora com medidas mais simples, como higienizar e aplicar compressas mornas algumas vezes ao dia.

No decorrer do tratamento, é recomendado usar produtos com substâncias cicatrizantes e bactericidas. Também é necessário reduzir o atrito com roupas, além de utilizar hidratantes e protetor solar.

Outra excelente alternativa é a depilação a laser, uma das melhores soluções para remover os pelos. O laser elimina grande parte dos fios, diminuindo os pelos e reduzindo problemas inflamatórios.

Praticamente todos os seres humanos experimentam foliculite em algum momento de suas vidas, com a maioria dos casos resolvidos de forma espontânea. Agora que você já sabe como evitar foliculite, fique atento aos cuidados. Busque ajuda médica se o incômodo for grande ou a condição persistir e começar a atrapalhar suas atividades diárias.

Gostou das nossas dicas? Se quiser ficar por dentro dos nossos conteúdos exclusivos, siga a gente nas redes sociais. Estamos no InstagramFacebook e YouTube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Agende sua avaliação