23 ago 2018

Pelos encravados: o que fazer para eliminar esse problema

1556      0

Um dos maiores desconfortos na hora da depilação são os pelos encravados. Eles podem ter diversas causas, desde predisposição genética até uma depilação feita de maneira inadequada. Vamos aprender mais sobre o assunto?

Um dos maiores desconfortos na hora da depilação são os pelos encravados. Eles podem ter diversas causas, desde predisposição genética até uma depilação feita de maneira inadequada. Vamos aprender mais sobre o assunto?

É sempre importante cuidar de si e do próprio corpo. Ao perceber sintomas incomuns, a recomendação é buscar ajuda. Por exemplo, se existe um problema que acomete ou já acometeu praticamente todas as pessoas são os pelos encravados.

Os pelos são uma proteção natural do corpo, mas podem desenvolver problemas ou simplesmente desconfortos. Neste post, esclarecemos as causas mais comuns dos pelos encravados, os riscos de não tratar esse problema, entre outras dúvidas. Acompanhe!

Quais são as principais causas dos pelos encravados?

O pelo encravado aparece quando não encontra espaço ou passagem para nascer. Ele fica por baixo da pele e, assim, provoca uma inflamação. Em geral, esse é um processo que produz mais incomodo estético que físico, por conta da aparência da região infamada, mas também pode gerar inchaço e desconforto.

Pessoas com pelos mais grossos ou crespos costumam ter esse problema com mais frequência. Fatores genéticos também podem aumentar a predisposição. Roupas apertadas, depilação inadequada, tipo de fio ou de pele e excesso de oleosidade são outros fatores que contribuem para o aparecimento de pelos encravados.

Em geral, esse é o tipo de situação que as pessoas apresentam pelo menos uma vez na vida. Para saber se os pelos estão encravados, é possível reconhecer as fases desse processo inflamatório. São elas:

  • primeira fase: quando o pelo ainda não aparece, pois está embaixo da pele;
  • segunda fase: momento da inflamação, quando há inchaço, vermelhidão e secreção;
  • terceira fase: quando é o cisto que deixa a região dolorida.

Quais são os riscos de não tratar?

Os pelos encravados costumam causar um incômodo estético, mas não trazem graves riscos à saúde. Portanto, caso o problema seja muito recorrente, pode indicar uma doença chamada foliculite ― quando o encravamento está em seu estágio mais profundo.

Normalmente, a foliculite aparece devido a uma infecção bacteriana ou fúngica. No entanto, também há um motivo mais simples: a inflamação dos folículos pilosos provocada pela depilação. Quando a pele é depilada, os pelos crescem mais finos e podem ter dificuldade para sair. Assim, não conseguem perfurar a camada externa para crescer e encravam.

Quais locais do corpo os pelos encravam e qual a aparência?

Os pelos costumam encravar nas partes mais sensíveis do corpo, como as axilas, pernas e o pescoço. Áreas que têm mais atrito e sensibilidade também podem sofrer com o problema, como os glúteos. Tomar os devidos cuidados com essas regiões é essencial para evitar o encravamento e até o agravamento do quadro.

O pelo encravado é caracterizado por crescer e enrolar por debaixo da pele, sem conseguir sair. Isso acontece, geralmente, após ser cortado ou removido pela depilação, em que se cria um caroço pequeno com tom avermelhado. A partir disso, a inflamação também pode causar inchaço, coceira e dor, além de chegar ao ponto de até mesmo provocar manchas.

Esse problema de crescimento nos pelos é mais comum em pessoas que fazem a depilação utilizando lâminas. Dessa forma, a pele fica mais exposta e suscetível a infecções que podem acometer os folículos pilosos.

Quais são os tratamentos para o problema?

Os tratamentos são dos tipos mais variados e devem seguir o perfil específico de cada pessoa. Cada um se adequa para uma rotina, seja ela agitada ou não. Entre os principais e mais eficientes métodos estão a depilação a laser e a fotodepilação, mas ainda há outros no mercado. Vamos entender como funciona cada um desses tratamentos:

Depilação a laser

depilação a laser é o método mais efetivo no combate ao pelo encravado. Além de ser um método rápido e que se encaixa em uma rotina corrida, também ajuda a lhe livrar de métodos que precisam de muita manutenção, como a depilação por cera ou lâmina. E mais: tem um preço acessível e de melhor custo benefício se comparada a outros procedimentos.

Vale ressaltar que é interessante avaliar qual o tipo de laser utilizado — o de Diodo, por exemplo, faz até 3 disparos por segundo e é mais eficiente, rápido e indolor que um laser comum. Esse método age na raiz do pelo e, assim, inibe seu crescimento. Além disso, o procedimento pode ser feito em pele morena sem que cause complicações como manchas.

Fotodepilação

A fotodepilação é uma boa alternativa para quem tem problemas tanto com a foliculite como com os pelos encravados. É feita por um aparelho chamado Luz Intensa Pulsada que barra o crescimento dos pelos por tempo prolongado. No entanto, esse período é menor do que o da depilação a laser.

Esfoliação

A esfoliação é mais uma maneira de evitar os pelos encravados. Esse tipo de procedimento pode ser feito tanto em casa, com alguma solução caseira, como em alguma clínica especializada — e a recomendação é que seja feita nessa última opção. Um acompanhamento profissional é sempre recomendado para esse tipo de problema.

Pomadas e cremes

Com a orientação de um especialista ou dermatologista, alguns cremes e pomadas de uso tópico podem ser utilizados. Em geral, esses produtos têm ativos como ácido glicólico, ácido retinoico e ácido salicílico, que auxiliam a combater o problema.

Remoção médica

Dependendo da complexidade do problema os pelos encravados precisarão de uma incisão. Se o caso necessitar de incisão, esse procedimento deve ser feito por um médico para a situação não se agravar e criar uma inflamação grave.

Como prevenir esse problema?

É possível prevenir os pelos encravados seguindo dicas e hábitos simples. Por exemplo, evite depilação por cera quente, principalmente combinada com roupas apertadas e sintéticas, já que os tecidos podem impedir a pele de respirar. Isso pode agravar muito o problema, então, deve ser evitado.

Esse cuidado também vale para a depilação com lâmina, pois ela pode provocar o mau crescimento dos pelos. Além disso, o uso de cremes com base de álcool pode causar irritação.

Outro ponto importante é manter a pele sempre limpa e seca para evitar a proliferação de fungos e bactérias. Além disso, o uso de sabonetes antissépticos mantém a limpeza e contribuem para que os pelos não encravem.

Alguns outros cuidados são válidos para os homens, uma vez que os pelos da barba também costumam encravar. Por isso, é preciso ter cuidado na hora de se barbear para evitar lesões e o encravamento dos pelos. Assim, fazer a limpeza com sabonete apropriado e utilizar água morna para dilatar os poros ajudam bastante.

A aplicação de loção de barbear, usar uma lâmina própria e de qualidade e retirar os pelos no sentido do seu crescimento também. Para finalizar, a hidratação é fundamental, pois ajuda na regeneração da pele, além de prevenir o envelhecimento precoce. O hábito de hidratar a pele deve ser diário, já que favorece a saúde.

Eliminar os pelos encravados e suas consequências exige cuidados especiais, mas que trazem excelentes resultados. Portanto, ao conhecer as causas do problema e tomar as medidas desde os primeiros sinais, as chances de ter uma pele bonita, saudável e sem pelos encravados é muito maior.

Como vimos, a melhor solução, em termos de custo e facilidade, para pelos encravados é a depilação a laser. Em poucas sessões, o procedimento já demonstra ótimos resultados. Os pelos encravados e outros problemas de irritação e inflamação são amenizados, evitando o desconforto que pode afetar a qualidade de vida.

Gostou do conteúdo? Agora queremos conhecer a sua experiência. Se você tem alguma sugestão para tratar pelos encravados, que tal compartilhar com a gente? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Agende sua avaliação