Banner

Para muitas mulheres, o excesso de pelos no corpo feminino é um pesadelo. Muitas delas se queixam de que eles aumentaram em determinado momento ou surgiram em locais que não tinham pelos até então.

Diante dos novos pelinhos que incomodam tanta gente, também aparecem as dúvidas de quais são os melhores métodos para removê-los.

Acompanhe neste conteúdo por que há pelos em excesso, quais são os sintomas que precisam ser percebidos e como lidar com eles.

Diferenças entre os tipos de pelo

Para saber identificar o excesso de pelos, é importante perceber a diferença entre os tipos:

  • corporal: sabe aqueles pelinhos que cobrem o corpo todo? Eles também são chamados de penugem. É um pelo bem fino, com pouca pigmentação e que apresenta textura macia.
  • terminal: é mais longo, mais espesso, com mais pigmentação e resistência. Os pelos das axilas e os pubianos, que crescem a partir da puberdade, são exemplos.

Vale lembrar que, geralmente, o excesso de pelo no corpo feminino está relacionado aos pelos terminais, que surgem em determinados locais, como na face, por exemplo.

Motivos do excesso de pelos no corpo feminino

Existem muitos motivos que podem impulsionar o excesso de pelos no corpo feminino. Para investigar corretamente, é importante consultar um profissional da área da saúde qualificado, como o dermatologista. Confira os motivos mais conhecidos e relacionados ao problema.

Desequilíbrio hormonal

O desequilíbrio hormonal, que ocorre de maneira natural, na puberdade ou na menopausa, ou que é induzido por medicação ou disfunção, pode ocasionar o crescimento de pelos em excesso no corpo da mulher. Assim, a produção alterada de determinados hormônios acelera e faz surgir pelos em partes incomuns, como em locais nos quais nascem pelos nos homens.

Vale lembrar que o desequilíbrio hormonal permeia muitos outros motivos que serão apresentados aqui.

Genética

A gente sabe que os genes influenciam nas nossas características físicas, não é mesmo? Ao olhar para mãe e filha muito parecidas, e observar a etnia de alguém e suas raízes, é possível perceber sinais para compreender alguns traços da sua aparência. No caso dos pelos, a carga genética também influencia na quantidade deles.

Hirsutismo

O desequilíbrio hormonal pode ocasionar hirsutismo, um distúrbio que causa o crescimento de pelos em mulheres nas partes do corpo em que os homens costumam ter, como pescoço, queixo e maxilar. Isso acontece quando a mulher produz andrógenos em excesso, hormônio que atua em maior quantidade nos homens.

Obesidade

A inflamação do corpo causada pela obesidade impacta negativamente muitas outras questões sobre a saúde e a estética, e o excesso de pelos pode ser um deles. Para entender, a adiposidade do corpo ocasiona o aumento dos hormônios androgênicos e faz com que o crescimento dos pelos aconteçam.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem apresentar como efeito colateral o surgimento de pelos em excesso pelo corpo, como os indicados para endometriose, calvície, artrite e depressão. Sem contar ainda os anabolizantes, feitos com hormônios masculinos e usados, muitas vezes de forma irregular para quem busca hipertrofia.

Hipertricose

A hipertricose é uma doença rara, e tudo indica que aconteça devido à herança genética do indivíduo. Assim, a atuação dos genes promove o crescimento dos pelos em excesso. 

É importante destacar que a doença é investigada, mas tudo indica que está associada a uma mutação no gene.

Problemas além dos pelos

Se você anda percebendo excesso de pelos no corpo, saiba que essa desregulação do organismo pode estar associada a outros problemas que precisam ser investigados e tratados, como:

  • Síndrome do ovário policístico: além de desenvolver cistos no ovário, influenciar ciclos menstruais irregulares, ser um fator de risco para obesidade e levar à possibilidade de infertilidade, a síndrome eleva a produção dos hormônios sexuais masculinos, que pode ocasionar o aumento de pelos.
  • Síndrome de Cushing: é uma doença que acontece devido ao uso de esteroides e à exposição a níveis elevados de cortisol, promovendo o crescimento de pelos na face e no corpo.
  • Tumores nos ovários e nas glândulas adrenais: as disfunções produzem hormônios androgênicos e podem ocasionar o surgimento de pelos em excesso e em regiões que são mais comuns os homens apresentarem pelos.
  • Hiperplasia adrenal congênita: pode-se dizer que é uma doença que age limitando a produção de hormônios nas glândulas adrenais e que afeta o crescimento e o desenvolvimento de crianças. Por isso, é uma das doenças detectadas logo no teste do pezinho. Assim como todas as outras citadas, a hiperplasia promove o aparecimento de pelos.
  • Endometriose: nesse caso, não é a doença em si que ocasiona o crescimento dos pelos, mas o tratamento dela. Isso porque a medicação usada desregula os hormônios e faz com que os pelos apareçam.

Fatores de risco relacionados ao excesso de pelos

Após conhecer os principais motivos que fazem os pelos “indesejados” crescerem pelo corpo da mulher e as doenças que apresentam essa questão como um sintoma, é pertinente considerar como fatores de riscos:

  • herança genética;
  • distúrbios hormonais naturais;
  • desequilíbrios ocasionados por outras doenças (como a SOP);
  • ações externas (como o uso de anabolizantes).

Dicas para lidar com o excesso de pelos no corpo feminino

Claro que você já deve ter ouvido falar e até usado alguns métodos de depilação para remover os pelos do corpo, como depilação com cera e pinça, por exemplo. Acontece que uma das formas mais eficazes de eliminar os pelos é com a depilação a laser. E a gente te explica por quê.

Depilação a laser

A onda de laser é emitida por um aparelho e elimina os pelos ao atingir o local de crescimento do fio, removendo-o pela raiz e retardando o seu próximo ciclo de crescimento. 

Locais de aplicação da depilação a laser:

  • rosto;
  • buço;
  • orelhas;
  • nariz;
  • queixo;
  • nuca;
  • costas;
  • axilas;
  • braços;
  • mãos e dedos.

Consulte um profissional

Além de cuidar dos pelos que já aparecerem e precisam ser removidos, é importante consultar um médico especialista para verificar as questões hormonais e de pele. Sequencialmente, dermatologistas e endocrinologistas são especialidades que podem te ajudar a reequilibrar o funcionamento do seu organismo, e a controlar o excesso de pelos.

Cuidados além de tratamentos

Nunca é demais lembrar que uma alimentação balanceada (e sem o consumo de gorduras ruins e excessos de açúcares) ajuda a manter o corpo longe de inflamações, como a obesidade. Da mesma forma, colabora para manter o equilíbrio das funções do organismo. Além disso, a prática de atividades físicas também é fundamental nesse processo.

Se você precisa lidar com o excesso de pelos no corpo feminino, siga as nossas dicas para saber por onde começar a buscar soluções para o problema.

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e leve informação relevante para outras mulheres que também querem eliminar os pelos indesejados!


Depilação a laser

Tipos de tratamento

Teste
Tratamentos Faciais

Indicados para prevenir ou combater consequências do envelhecimento cutâneo como, por exemplo, flacidez, rugas, linhas de expressão e mais...

Teste
Depilação a Laser

Acabe com os pelos indesejáveis pelo corpo inteiro. Mesmo os pelos mais grossos e rebeldes podem ser removidos em apenas algumas sessões.

Teste
Tratamentos Corporais

Não podemos nos esquecer de cuidar da nossa maior e mais importante ferramenta para cumprir as atividades do dia a dia: o nosso corpo.