Banner

O tratamento para estrias brancas é um dos mais procurados pelos pacientes que não estão contentes com o que enxergam quando se olham no espelho e decidem dar um jeito em suas estrias.

Você tem dúvidas sobre quais são os métodos mais indicados no tratamento para estrias brancas e vermelhas? Preparamos um artigo especial em que você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre o tema. Confira!

O que é uma estria?

Estrias são cicatrizes que se formam quando ocorre o estiramento da pele, fazendo com que as fibras colágenas e elásticas do órgão sejam destruídas.

As linhas vão se formar com a redução da espessura, tanto da derme quanto da epiderme, e, na maioria dos casos, não apresentam nenhum tipo de sintoma além de uma pequena ardência ou coceira na região.

O que pode causar estrias?

As causas do surgimento das estrias podem ser bastante variadas, considerando diversos fatores.

Nos homens, os principais fatores que causam o surgimento das estrias são:

  • uso de anabolizantes;
  • prática excessiva de musculação;
  • crescimento natural abrupto;
  • ganho de peso.

No corpo masculino, as estrias surgem principalmente nos ombros, costas e braços. Já no caso das mulheres, existem outros fatores que podem ser determinantes para o aparecimento das estrias. Os principais são:

  • colocação de prótese de silicone;
  • ganho de peso;
  • crescimento muito rápido;
  • gravidez.

As mulheres sofrem mais com o surgimento de estrias em muitas regiões do corpo, como, por exemplo, as mulheres grávidas, que podem apresentar estrias tanto nos seios quanto no abdômen.

Meninas que estão entrando na puberdade costumam ter estrias causadas tanto pelo crescimento rápido quanto pelo ganho de peso repentino — algo bastante comum nessa idade.

Além disso, as estrias podem surgir em várias partes do corpo feminino, como coxas, abdômen, glúteos e seios.

Qual é a diferença entre estrias brancas e vermelhas?

Estrias brancas ou vermelhas são algo bastante comum e não são raros os casos de pessoas que tenham tanto as linhas brancas quanto as vermelhas.

Estrias vermelhas

As estrias que surgem em um tom avermelhado ou, em alguns casos, arroxeadas são estrias mais novas. Essas marcas surgem quando as camadas de pele de uma determinada região do corpo já se romperam, porém, estão em pleno processo inflamatório. A área assume a coloração avermelhada ou arroxeada devido ao aumento da vascularização para reparar o dano do tecido. 

Nesse estágio, as estrias são mais fáceis de tratar e regredir o processo. Portanto, buscar tratamento especializado quanto antes é fundamental para ter bons resultados.

Estrias brancas

As estrias brancas são o estágio mais avançado do rompimento das camadas de pele de uma determinada região do corpo. Havendo a cicatrização total do tecido, as estrias então assumem uma característica fibrosa e avascularizada.

Também existe diferença entre as texturas das estrias. As marcas que são mais altas em relação à superfície da pele, criando uma elevação que é bastante incômoda para o paciente, pois parece muito mais exposta, são as chamadas estrias hipertróficas.

Quando essas estrias são mais baixas em comparação à superfície da pele, criando uma depressão na região em que ocorreu o estiramento, elas recebem o nome de estrias atróficas.

Tratamentos para estrias brancas

Apesar de existirem dezenas de tratamentos estéticos disponíveis no mercado, poucos são os que realmente podem ajudar de maneira efetiva no tratamento para estrias brancas.

É preciso ter em mente que a duração e os resultados dos tratamentos são obtidos com a união de vários fatores e, por isso, não é possível garantir que os resultados de um tratamento surgirão no tempo que cada paciente deseja.

Confira os tratamentos para estrias brancas que realmente funcionam e podem ajudar você com esse problema que afeta milhares de homens e mulheres.

Carboxiterapia

A carboxiterapia é provavelmente um dos procedimentos estéticos mais antigos de que se tem notícia. Utilizada desde o século XVIII, a carboxiterapia tem como objetivo melhorar a circulação sanguínea e auxiliar na regeneração dos tecidos. As observações feitas por cientistas, há séculos, já comprovaram a eficácia do tratamento.

Basicamente, a carboxiterapia consiste na infusão de gás carbônico em várias camadas da pele para que seja possível atingir o resultado desejado.

Como é feita a carboxiterapia?

A carboxiterapia é realizada com a utilização de agulha e equipo, uma espécie de mangueira que conduz o gás do cilindro para a extremidade da agulha.

A quantidade de gás que deve ser utilizada na realização do tratamento varia de paciente para paciente, sendo definida também de acordo com a finalidade do procedimento.

Nos tratamentos realizados com a finalidade de combater a celulite, a agulha é inserida na camada entre a gordura que se deseja eliminar e a pele para que seja feita a infusão do gás.

Já no tratamento para estrias brancas, a agulha faz a liberação do gás carbônico após ser inserida dentro da cicatriz formada pelo estiramento da pele do paciente.

No tratamento para estrias brancas, o gás carbônico distende o tecido da cicatriz, fazendo com que o espaço criado com esse deslocamento seja preenchido pelo gás, estimulando a produção de colágeno na região.

Nesse tipo de tratamento, o gás carbônico faz com que os tecidos sejam mais bem irrigados pela corrente sanguínea, que se beneficia da dilatação dos vasos sanguíneos existentes, além de estimular a formação de novos vasos. O mesmo gás carbônico também auxilia no rompimento de fibroses do tecido subcutâneo.

O tempo para que os resultados da carboxiterapia se tornem visíveis dependerá da quantidade de sessões indicada pelo profissional. Além disso, os hábitos do paciente são determinantes para que os resultados do procedimento durem mais tempo, como alimentação saudável e prática de atividades físicas, evitando o surgimento de novas estrias.

Contraindicações da carboxiterapia

A carboxiterapia é um tratamento que tem poucas contraindicações, que não devem ser ignoradas por quem deseja se submeter ao procedimento.

Pessoas com diagnóstico de doenças pulmonares que causem a retenção de gás carbônico, como é o caso da doença pulmonar obstrutiva crônica, por exemplo, não devem se submeter ao procedimento.

Além disso, o paciente que apresentar qualquer tipo de infecção ativa na região a ser tratada não deve realizar o procedimento até que a infecção desapareça por completo.

Intradermoterapia

A intradermoterapia, também conhecida como mesoterapia, é um procedimento estético que consiste na aplicação de enzimas sob a pele por meio de injeção para o tratamento de estrias brancas, celulite, gordura localizada e flacidez em mulheres e homens.

O objetivo do método é fazer a introdução de altas concentrações de ativos, sempre definidos pelo biomédico. A injeção dessas altas concentrações de ativos tem como finalidade aumentar o resultado desejado com a realização do procedimento.

Como é feita a intradermoterapia?

No processo de aplicação de enzimas são utilizadas agulhas pequenas que têm a finalidade de introduzir as quantidades adequadas de ativos.

Essas enzimas que são injetados por essas pequenas agulhas vão atuar diretamente em determinadas células, dependendo da finalidade do tratamento.

As injeções podem perfurar a pele, atingindo profundidades entre 0,5 e 4 milímetros, carregando uma solução com diversas substâncias em sua composição.

Conhecida como mescla, a solução injetada durante uma sessão de intradermoterapia pode carregar componentes como enzimas, extratos de plantas, aminoácidos, vitaminas e outras substâncias que o biomédico julgue necessárias para o sucesso do tratamento.

Na maioria dos casos, os resultados da intradermoterapia podem ser vistos a partir da quinta sessão, mas isso vai depender muito da finalidade do tratamento, assim como das substâncias utilizadas nas sessões.

O tratamento para estrias brancas pode ter uma duração bastante variável, sendo dividido em sessões semanais de cerca de 15 minutos.

Substâncias mais utilizadas na intradermoterapia

Muitas substâncias podem ser utilizadas sozinhas ou combinadas com outras nas sessões de intradermoterapia.

As substâncias que serão utilizadas em cada tratamento serão definidas pelo profissional conforme os objetivos de cada paciente ao se submeter ao procedimento.

No tratamento para estrias brancas, a solução utilizada na intradermoterapia normalmente contém substâncias que apresentam ótimos resultados na maioria dos casos em que são utilizadas.

Já quem procura pela intradermoterapia para tratar a celulite encontra na L-Carnitina e no silício orgânico dois grandes aliados para acabar com as toxinas causadoras da celulite.

Contraindicações da intradermoterapia

Algumas pessoas, em determinadas condições, não devem se submeter à intradermoterapia.

Esse tratamento para estrias brancas é contraindicado para pessoas diagnosticadas com problemas cardíacos, doenças crônicas, alergia aos componentes da mescla e doenças de pele no local da aplicação.

O tratamento também é contraindicado para mulheres durante o período gestacional ou que ainda estejam amamentando.

Radiofrequência

Trata-se de um tratamento estético que pode ser utilizado para combater a flacidez do rosto ou do corpo. O procedimento com radiofrequência já se mostrou bastante eficaz no combate à gordura localizada, celulite, estrias, rugas e linhas de expressão.

Como é feito o tratamento com radiofrequência?

A radiofrequência tem a função de elevar a temperatura térmica em até 61ºC. Isso faz com que haja uma lesão mediada e controlada que gera um processo de cicatrização de tecido, promovendo o preenchimento das estrias e diminuição da sua largura.

Esse aumento na temperatura na região a ser tratada faz com que o colágeno existente ali se contraia, estimulando a produção de elastina e fibra colágena, responsáveis por dar mais firmeza e sustentação à pele.

A elevação da temperatura também faz com que as células de gordura tenham suas membranas rompidas, sendo eliminadas do corpo em pouco tempo.

No tratamento para estrias brancas, a radiofrequência promove a reorganização das fibras de colágeno e elastina necessárias para melhorar a aparência das marcas.

Microdermoabrasão

O tratamento com microdermoabrasão é como aquele velho cuidado que temos para eliminar as células mortas da pele: a esfoliação. No entanto, existem algumas diferenças, como a intensidade e penetração na pele.

Além de fazer uma esfoliação que estimula as células de colágeno, a microdermoabrasão também permite que os ácidos penetrem mais profundamente. É isso o que ajuda na regeneração celular e na melhora da aparência das estrias.

A técnica não é invasiva e ajuda no tratamento de estrias e na estética da pele envelhecida. Como resultado, a textura fica mais bonita.

Como é feito o tratamento com microdermoabrasão?

De modo geral, o procedimento faz uma raspagem na capa córnea, preparando a pele para que os ácidos penetrem de forma mais eficiente. Dessa maneira, a técnica elimina as células mortas e prepara a nova camada de pele.

Entre os tipos de microdermoabrasão estão com Peeling de Cristal (que pulveriza cristais de óxido de alumínio) e o Peeling de Diamente (que faz uma esfoliação profunda removendo manchas e renovando as células de colágeno).

Em média, são necessárias de 5 a 12 sessões, com intervalos que serão estipulados pelo profissional. O procedimento não é doloroso e, talvez, seja apenas um pouco desconfortável no momento da aplicação dos ácidos. 

É possível que a pele fique sensibilidade após as sessões, já que há uma esfoliação. Por isso, deve-se evitar a exposição ao sol por pelo menos 24h depois do procedimento. 

Existem contraindicações para o tratamento para estrias brancas?

De maneira geral, o tratamento para estrias brancas ou vermelhas é contraindicado apenas para pessoas em condições específicas de saúde. O tratamento para estrias brancas é contraindicado para gestantes, mulheres em período de amamentação, pessoas com herpes, dermatite ou outras alergias e problemas de pele.

É preciso ressaltar que esses procedimentos estressam a área afetada pelas estrias. Por isso, qualquer tipo de tratamento é contraindicado para pessoas nessas condições.

Ainda assim, é sempre uma medida inteligente procurar um dermatologista para receber a orientação adequada antes de se submeter a qualquer tipo de tratamento. Afinal, a opinião de um especialista é muito importante antes da realização de qualquer procedimento estético.

Como evitar o surgimento das estrias?

A adoção de hábitos de vida mais saudáveis, sem dúvidas, é uma das maneiras mais efetivas de evitar o surgimento das estrias em qualquer parte do corpo.

Os cuidados com a alimentação e a prática de atividades físicas, não apenas em momentos específicos, como a preparação para a chegada do verão, mas como estilo de vida, vão ajudar o organismo a se manter saudável, evitando que a pele se estique e rompa camadas e vasos sanguíneos.

Além da prática de exercícios e dos cuidados com a alimentação, o uso de cosméticos específicos também pode ajudar a prevenir o aparecimento de estrias vermelhas e brancas, consequentemente.

Existem centenas de cremes hidratantes e loções que ajudam a melhorar a hidratação da pele, fazendo com que seja mais difícil ocorrer o processo de rompimento das camadas que dá origem às estrias.

Estria tem cura?

Infelizmente não existe uma cura definitiva para as estrias. Por se tratar de uma cicatriz que se forma depois que ocorre o estiramento de camadas de pele, é muito difícil conseguir fazer com que as camadas rompidas voltem ao seu estado anterior.

Quando as estrias ainda estão com aquela tonalidade avermelhada ou arroxeada, os tratamentos estéticos conseguem resultados mais rápidos, deixando as marcas muito menos aparentes e, automaticamente, aumentando a autoestima dos pacientes.

O tratamento para estrias brancas é um pouco mais complicado, já que o rompimento da pele na região foi total, inclusive eliminando o fluxo sanguíneo no local.

É possível obter bons resultados nos tratamentos em que a produção de colágeno na região é restabelecida, mas podem ser necessárias mais sessões para que se consiga chegar a um resultado satisfatório.

Considerações finais

Mesmo sendo um problema que não tem uma cura definitiva, o tratamento para estrias brancas e vermelhas pode ajudar os pacientes a se sentirem melhores com seus próprios corpos, elevando sua autoestima e melhorando sua qualidade de vida. Para isso, procure profissionais qualificados para realizar qualquer tipo de procedimento.

Se você cansou de conviver com suas estrias e quer melhorar a imagem que vê no espelho, é a hora certa de conhecer os tratamentos corporais da GiOlaser e agendar a sua avaliação gratuita!


Dicas da GiO

Tipos de tratamento

Tratamentos Faciais
Tratamentos Faciais

Indicados para prevenir ou combater consequências do envelhecimento cutâneo como, por exemplo, flacidez, rugas, linhas de expressão e mais...

Depilação a Laser
Depilação a Laser

Acabe com os pelos indesejáveis pelo corpo inteiro. Mesmo os pelos mais grossos e rebeldes podem ser removidos em apenas algumas sessões.

Tratamentos Corporais
Tratamentos Corporais

Não podemos nos esquecer de cuidar da nossa maior e mais importante ferramenta para cumprir as atividades do dia a dia: o nosso corpo.