Tratamentos Corporais

Carboxiterapia

Muitas pessoas se incomodam muito com o aparecimento de estrias e celulite. Tanto que, desde a década de 30, existe esse tratamento que passou por diversas evoluções para garantir resultados ainda mais eficientes e chegasse à sua versão mais recente, que você encontra aqui na GiOlaser.
A carboxiterapia está aqui para ser aplicada em quem deseja uma pele mais bonita e saudável através de profissionais experientes e focados em seu bem-estar.

A Carboxiterapia da GiOlaser é um procedimento estético realizado pela infusão de gás carbônico medicinal em diferentes camadas da pele para melhorar a circulação e a oxigenação dos tecidos, promovendo rejuvenescimento e resultado efetivo no combate a estrias, celulite, flacidez e sequelas de acne.

Originalmente, a carboxiterapia foi desenvolvida na França, em 1930, e desde então vem sendo aprimorada e aplicada em diferentes tipos de procedimentos estéticos para tratar problemas arteriais relacionados à má circulação e acúmulo de gordura, além de acelerar a cicatrização de feridas através da oxigenação sanguínea.

No entanto, observou-se que com a melhora da circulação, a pele ficava mais irrigada (sangue, oxigênio e nutrientes), o que contribuía para o aumento de produção de colágeno e elastina, redução de inchaços, quebra de células de gorduras e melhora na distribuição de líquidos no corpo.

Isso porque o efeito do gás carbônico utilizado no tratamento se dá devido à sua ação vasodilatadora que, ao mesmo tempo, reduz a afinidade entre a hemoglobina e o oxigênio, melhorando a circulação sanguínea nos tecidos e dissolvendo células de gordura.

Com isso, a carboxiterapia passou a ter inúmeras funções, proporcionando excelentes resultados também no tratamento de rugas, olheiras, alopecia, cicatrizes, microvarizes e pré e pós-lipoescultura, evitando a fibrose, além do rejuvenescimento da pele.

A Carboxiterapia usa um aparelho acoplado a um cilindro de gás carbônico medicinal, que regula a vazão do gás para uma seringa com agulha de calibre mínimo e profundidade de aplicação variável conforme cada caso. Esse gás melhora a circulação celular e a oxigenação dos tecidos.

Para tratamento de celulite, a agulha é inserida entre a pele e a gordura, dilatando os vasos e otimizando a circulação. A fibrose, então, é rompida pela injeção de gás, e a gordura é mais facilmente queimada pelo aumento do metabolismo que ocorre no local. Já no tratamento de estrias, o gás carbônico é aplicado dentro da cicatriz, distendendo seu tecido e estimulando a formação de colágeno no local.

No caso de olheiras, a Carboxiterapia estimula a melhora da circulação e formação de novos vasos sanguíneos que amenizam a aparência escurecida. Para a flacidez da pele, o benefício está na formação de colágeno e elastina.

A principal função da Carboxiterapia é promover o aumento do fluxo sanguíneo local através do contato do gás carbônico com a pele para uma maior oxigenação do tecido subcutâneo, e com isso promover uma série de benefícios como:
• Ajudar na renovação das fibras elásticas e na revitalização da pele, promovendo seu enrijecimento;
• Favorecer a produção de fibras de colágeno e elastina que sustentam a pele;
• Acelerar o metabolismo local;
• Melhorar o aspecto e diminuir o tamanho de cicatrizes;
• Favorecer a queima da gordura localizada, diminuindo medidas;
• Desfazer os nódulos de celulite;
• Facilitar a cicatrização de feridas crônicas.

A técnica é recomendada, principalmente, para o tratamento da celulite, mas também para amenizar o aspecto da pele em sua totalidade, agindo em estrias e diversas cicatrizes. Veja abaixo algumas aplicações:
• Celulite: aumenta a circulação sanguínea local, reduzindo o inchaço e a fibrose (nódulos da celulite) provocada pelo acúmulo de líquidos;
• Estrias: alonga os tecidos do local e preenche a região com o gás carbônico medicinal, estimulando a produção de colágeno e elastina;
• Gordura localizada: melhora a circulação sanguínea do local, facilitando a quebra das moléculas de células de gordura (células adiposas) através da sua combustão com o oxigênio no sangue;
• Flacidez: estimula a produção de colágeno e novas fibras elásticas, promovendo maior sustentação da pele;
• Olheiras: ativa a circulação no local irrigando os vasos, reduzindo o inchaço e clareando a pele.

Além disso, a carboxiterapia também é indicada para tratar cicatrizes ou marcas de acne e ajudar no pré-operatório e pós-operatório de cirurgias plásticas, aumentando a vascularização do local.

A celulite aterroriza muitas mulheres por deixar o aspecto da pele esponjoso, com diversos “furinhos” semelhantes à casca de uma laranja. São muitos os fatores que podem levar ao aparecimento da celulite no corpo.

O principal é de origem genética, ou seja, uma predisposição passada de geração em geração. Outro fator de risco é a alteração hormonal acarretada por tensão pré-menstrual, menopausa, quadros de estresse e idade.

Todos esses fatores geram oscilações nas quantidades de hormônios (estrogênio e a progesterona) liberadas no organismo feminino, provocando uma retenção maior de água. Essa retenção de líquidos acaba comprometendo a circulação sanguínea e levando à formação da celulite.

A celulite também pode ocorrer devido aos maus hábitos como tabagismo, sedentarismo e má alimentação que prejudicam o metabolismo e a circulação sanguínea, além de contribuírem para o acúmulo de gordura localizada.

O uso de roupas muito justas, que prejudicam a circulação e comprimem os vasos sanguíneos e linfáticos também podem contribuir para o aumento da quantidade de celulite no corpo.

Embora os fatores do seu aparecimento sejam muitos, o problema é causado principalmente pela falta de circulação sanguínea local que dificulta a drenagem adequada das células de gordura. Assim, líquidos e impurezas se acumulam no local, adquirindo uma consistência mais espessa e mais difícil de eliminar (nódulos ou fibrose).

Através da carboxiterapia, a circulação sanguínea é restabelecida através do aumento da velocidade do fluxo sanguíneo. Para tanto, introduz-se a agulha do aparelho entre a pele e a gordura, a fim de dilatar os vasos e aumentar a circulação na área.

O gás injetado quebra a fibrose formada pelo acúmulo de líquido da celulite e ajuda a queimar a gordura mais facilmente devido ao aumento do metabolismo no local. Já é possível perceber em alguns dias a reestruturação do metabolismo local.

As olheiras são manchas escuras abaixo dos olhos que dão um aspecto cansado à aparência. Na maioria das vezes, as olheiras ficam mais evidentes e proeminentes devido à camada fina de pele no local que deixam os vasos sanguíneos mais visíveis, dando esse aspecto de coloração mais escura.

No entanto, existem também fatores genéticos que contribuem para o seu aparecimento. Como por exemplo, a hiperpigmentação periorbital, uma doença que provoca uma produção maior de melanina na pele abaixo dos olhos, dando essa tonalidade mais escura.

Outro fator é a oxidação do sangue vazado de vasos sanguíneos periorbitais danificados, acarretando círculos inchados e escuros sob os olhos. O inchaço periorbital, bolsas abaixo dos olhos, causado por pelo acúmulo de líquido devido a doenças respiratórias, alergias ou consumo excessivo de sal, também pode acompanhar as olheiras.

Esse acúmulo de líquido aumenta a pressão dos vasos sanguíneos ao redor dos olhos, deixando-os mais perto da superfície da pele, tornando as olheiras mais proeminentes. O inchaço dos olhos também pode ser resultado da idade avançada.

Já as olheiras causadas pelo cansaço tem relação com a forma como o corpo age quando está com pouca energia. Quando estamos cansados, a produção de cortisol aumenta para fornecer mais energia para nos manter acordados. Isso também aumenta o volume de sangue no corpo, dilatando os vasos sanguíneos para acomodar este fluxo.

As rugas e a flacidez da pele, por exemplo, também podem deslocar mais para baixo as bolsas de gordura da região, normalmente localizadas sob o globo ocular, e formar as manchas escuras sob o olho. O emagrecimento excessivo também tende a marcar mais a região.

No entanto, a carboxiterapia pode ajudar a amenizar as olheiras através do estímulo à circulação sanguínea na região ocular. Ao mesmo tempo, a carboxiterapia estimula a produção de novos vasos sanguíneos, amenizando a aparência escura e a flacidez da pele, devido à potencialização do colágeno e elastina.

Outro grande incômodo estético, tanto para o público feminino quanto masculino, é a formação das estrias. Estrias são marcas semelhantes a cicatrizes dilatadas, que surgem em qualquer região do corpo, parte inferior das costas, ao redor das mamas, nas coxas, nos braços, quadril, barriga, entre outras.

Essas marcas se formam pelo estiramento da pele quando as fibras de sustentação da pele e o colágeno são destruídos, tornando-se visíveis devido à diminuição da espessura da derme e epiderme.

Em geral, não apresentam sintomas além da aparência marcada, mas há quem sinta coceira ou ardência na área afetada. Quando recém-formadas, as estrias possuem tonalidade rosada, enquanto as mais antigas são esbranquiçadas. Pessoas de pele morena ou negra possuem tons mais escuros que a cor natural da pele.

Normalmente, as estrias ocorrem no período de grande desenvolvimento do corpo, devido às mudanças de peso, como por exemplo, puberdade, gravidez ou obesidade. O famoso “efeito sanfona”, em que o indivíduo engorda e emagrece simultaneamente, também contribui bastante para o aparecimento das estrias.

Outros fatores como genética, uso de anabolizantes, uso prolongado de corticoides ou alterações hormonais, principalmente relacionadas às quantidades de estrógeno e hormônios adrenocorticais, também estão associados às estrias.

Para o tratamento de estrias, a Carboxiterapia aplica o gás carbônico com um fluxo alto no interior da cicatriz. O método promove um barotrauma, uma espécie de processo inflamatório dentro da estria, que forma uma casquinha que depois descama e afina o aspecto dela, aproximando as bordas e tornando-as mais imperceptíveis.

O gás carbônico distende o tecido da marca, contribuindo para formação do colágeno e regeneração da pele, diminuindo até 80% das cicatrizes.

Para o tratamento de emagrecimento e redução de medidas, o gás carbônico entra em contato com as células de gordura, difunde-se e se dirige aos glóbulos vermelhos, ficando em contato com a hemoglobina.

Esse oxigênio é usado em reações metabólicas e para produzir combustão de gordura. Assim, aumenta o metabolismo e quebra mais facilmente as células adiposas, reduzindo o inchaço e a gordura por consequência.

No entanto, a carboxiterapia tem efeitos extremamente localizados. Assim, os melhores resultados serão em casos de quantidade pequena de gordura em regiões bastante localizadas.

Em geral, a flacidez da pele ocorre por falta de colágeno e elastina na pele, as chamadas fibras de sustentação. Uma das suas principais causas é o processo de envelhecimento natural da pele, em que o organismo produz menos colágeno e elastina.

O tabagismo e o excesso de álcool contribuem ainda mais para a flacidez, pois seus componentes destroem a elasticidade da pele. Outros fatores, como as mudanças bruscas de peso, durante a gravidez ou obesidade, também acarretam a flacidez da pele.

A Carboxiterapia atua diretamente na produção de colágeno e elastina da pele, promovendo a regeneração celular e aumentando a quantidade de fibras elásticas na região que dão a sustentação necessária aos tecidos.

As varizes são veias dilatadas, tortuosas e aparentes sob a pele, muito comuns nas pernas e pés, devido aos problemas de pressão por ficar muito tempo sentado ou em pé, ou má circulação. Neste caso, o problema precisa ser avaliado por um médico especialista, pois nem sempre é uma questão apenas estética.

No caso de questões estéticas simples, a Carboxiterapia ameniza o visual dos vasinhos estourados, assim como faz com as estrias. A técnica dilata os vasos sanguíneos, a fim de melhorar a oxigenação da pele e aumentar o fluxo sanguíneo no local.

A Carboxiterapia é considerada uma técnica minimamente invasiva e segura, que promove excelentes resultados em pouco tempo de tratamento, podendo até ser associada a outros tratamentos estéticos, como a drenagem linfática e a massagem modeladora.

No entanto, possui algumas contraindicações quanto a certos quadros clínicos, como por exemplo:
• Insuficiência respiratória, renal, hepática e cardíaca graves;
• Uso de medicamentos com a substância anidrase carbônica;
• Infecção ativa na região a ser tratada;
• Anemia;
• Doença pulmonar que cause retenção de gás carbônico;
• Hipertensão arterial descontrolada;
• Trombose arterial;
• Alergia ou doenças de pele;
• Obesidade;
• Herpes;
• Câncer;
• Distúrbios psicológicos;
• Gravidez.

Já é possível observar resultados após a 1ª sessão, mas os melhores efeitos da Carboxiterapia são mais visíveis entre a 5ª e 8ª semana após o início do tratamento, podendo ser observada uma melhora da textura da pele.

Por volta da 10ª sessão, o tecido subcutâneo já estará mais firme. No entanto, tudo vai depender do grau, local realizado, estado e objetivo do paciente.

Casos de graus iniciais de celulite, por exemplo, o procedimento traz resultados mais visíveis, enquanto em casos avançados, o resultado é mais discreto e pode levar mais tempo para visualizar resultados efetivos.

No entanto, os efeitos podem permanecer por tempo indeterminado, dependendo dos hábitos de vida do paciente. Pacientes cujo estilo de vida é saudável, acostumados aos exercícios regulares, alimentação balanceada e dentro do peso normal costumam manter seus resultados e a incidência de intercorrência é bem menor.

Já a má alimentação, fumo, bebida alcoólica e exposição solar em excesso e sem proteção podem ser prejudiciais. Para potencializar ainda mais os resultados, o ideal é fazer exercício nas seis primeiras horas após a aplicação. O gás estimula o organismo no local, gerando a liberação de ácido graxo e glicerol que podem ser usados imediatamente.

Dúvidas Frequentes

Agende sua avaliação