25 nov 2019

Confira a importância da drenagem linfática no pós-operatório

1861      0

Depois de uma cirurgia, são necessários alguns cuidados especiais, como uso de medicamentos, repouso e alimentação saudável. Outra medida bastante importante, após um procedimento cirúrgico, é realizar a drenagem linfática no pós-operatório. Além de ajudar a reduzir o inchaço resultante do excesso de líquido acumulado depois da cirurgia, essa técnica traz outros benefícios que contribuem para uma […]

Depois de uma cirurgia, são necessários alguns cuidados especiais, como uso de medicamentos, repouso e alimentação saudável. Outra medida bastante importante, após um procedimento cirúrgico, é realizar a drenagem linfática no pós-operatório.

Além de ajudar a reduzir o inchaço resultante do excesso de líquido acumulado depois da cirurgia, essa técnica traz outros benefícios que contribuem para uma rápida recuperação.

Neste artigo, você vai descobrir o que é a drenagem linfática, quais os objetivos desse procedimento e como ela pode contribuir para um pós-operatório bem-sucedido. Não perca!

O que é a drenagem linfática?

Essa técnica foi desenvolvida na década de 1930, pelo terapeuta dinamarquês Emil Vodder e sua esposa. Ao longo dos anos, esse tipo especial de massagem sofreu algumas modificações, mas seu principal objetivo continua o mesmo: estimular o funcionamento do sistema linfático.

Esse sistema é responsável por conduzir os líquidos em excesso presentes nas células, compostos por substâncias orgânicas e inorgânicas. Durante a prática da drenagem linfática, os movimentos realizados ajudam esses líquidos a atingirem os linfonodos para serem posteriormente eliminados do organismo.

Também chamadas de gânglios linfáticos, essas estruturas são essenciais para a defesa do sistema imunológico. Elas estão presentes:

  • na parte posterior da cabeça;

  • atrás das orelhas;

  • no pescoço;

  • abaixo do queixo e da mandíbula;

  • na axila;

  • na virilha.

Como é feita a drenagem linfática?

O procedimento pode ser realizado de dois modos: manual e mecânico. Nas duas situações, a pessoa que faz a massagem realiza manobras para esvaziar os gânglios linfáticos, um dos responsáveis pelo inchaço no pós-operatório. Com isso, esses líquidos são direcionados para serem eliminados do corpo por meio da urina.

A drenagem linfática realizada no pós-operatório tem algumas particularidades em relação ao procedimento tradicional. Os movimentos são mais leves e suaves, para respeitar a sensibilidade da região operada.

Ela pode ser feita em diferentes partes do corpo, como rosto, abdômen, perna, braços e tórax.

A técnica é recomendada para o pós-operatório de que tipo de cirurgia?

A drenagem linfática pode ser utilizada nos procedimentos pós-operatórios de todos os tipos de cirurgia, sejam eles estéticos, sejam para o tratamento de algum problema de saúde. 

Essa massagem é inclusive recomendada em procedimentos pré-operatórios. Por outro lado, em algumas cirurgias, ela já faz parte da lista de procedimentos de recuperação. São elas:

  • abdominoplastia;

  • blefaroplastia;

  • cirurgia de contorno corporal;

  • dermolipectomia;

  • enxerto de gordura;

  • lifting de braços e coxas;

  • lipoescultura e lipoaspiração;

  • mamoplastia (redutora, reparadora ou de aumento);

  • ritidoplastia;

  • rinoplastia.

Quais os benefícios da drenagem linfática no pós-operatório?

Por mais que você siga todas as recomendações médicas após um procedimento cirúrgico, é normal sofrer com alguns desconfortos. É aqui que a drenagem linfática pode ajudar. Vamos conhecer alguns benefícios desse tratamento corporal?

Reduz a retenção de líquidos

A drenagem linfática auxilia o corpo a eliminar os líquidos em excesso no organismo, sendo bastante útil, especialmente, quando aplicada na área operada. Com isso, ela vai ajudar a diminuir o inchaço da região.

Ajuda a aliviar as dores

O inchado posterior à cirurgia também pode causar muito desconforto no paciente. Com os movimentos da drenagem linfática e a redução do inchaço, esse desconforto também é eliminado. 

Além disso, a massagem promove o relaxamento e pode ajudar a evitar as dores musculares em pessoas que precisam se manter na mesma posição após uma cirurgia.

Hidrata a pele

Após uma cirurgia, a pele pode desidratar. Durante a massagem da drenagem linfática, os movimentos e os produtos utilizados durante o procedimento contribuem para a reposição da umidade da pele, melhorando a sua aparência.

Desintoxica o organismo

Existem muitos fatores que podem contribuir para o acúmulo de toxinas no corpo, como a má alimentação. No processo pós-operatório, o uso de medicamentos e a falta de atividade física, associados à retenção de líquidos, podem agravar o problema.

Como a massagem ajuda a eliminar essas toxinas presentes no sistema linfático, o seu corpo consegue se desintoxicar.

Acelera a cicatrização

Outro benefício da drenagem linfática é estimular a circulação sanguínea, contribuindo para a captação de oxigênio, a hidratação e a nutrição das células. Essa melhoria ajuda significativamente o processos de cicatrização, aumentando a capacidade de absorção dos hematomas que aparecem após a cirurgia.

Auxilia na remodelagem da pele

Especialmente após as cirurgias plásticas ou reparadoras, os movimentos ascendentes e descendentes realizados durante o procedimento também ajudam a pele a se adaptar às mudanças, restabelecendo a aderência dos tecidos e potencializando os efeitos cirúrgicos.

Evita a formação de fibrose

Durante o processo de cicatrização, pode ocorrer um aumento de tecido na região onde foi realizado o corte cirúrgico, situação conhecida como fibrose. Como ninguém deseja ter uma cicatriz depois de um procedimento cirúrgico, essa é mais uma razão para adotar a drenagem linfática. Como esse tratamento promove a melhoria da circulação sanguínea, a fibrose pode ser evitada ou reduzida.

Combate a gordura localizada

O período de repouso após a cirurgia pode levar ao acúmulo de gordura em regiões indesejadas. Visto que essa massagem especial promove a melhor oxidação dos tecidos, ela se transforma em uma poderosa aliada no combate à gordura localizada.

Vale lembrar que, para potencializar os resultados da drenagem linfática, você precisa aliar o procedimento a uma alimentação saudável, à maior ingestão de líquidos e à prática de atividades físicas, assim que houver a liberação médica.

Quando iniciar a drenagem linfática?

Apesar de todas as vantagens descritas acima, é importante conversar com seu médico para que ele avalie se você não apresenta nenhum impedimento ou complicação cirúrgica para receber a técnica. 

Além disso, cada tipo de cirurgia apresenta um tempo específico de recuperação. Isso quer dizer que não existe um momento ideal para a realização da drenagem linfática. Ademais, o número de sessões varia de acordo com o tipo de cirurgia e o processo de recuperação de cada indivíduo. Em média, são necessárias de 8 a 10 sessões.

Você viu que a drenagem linfática no pós-operatório pode contribuir efetivamente para sua recuperação? Além de consultar o médico antes de iniciar esse tratamento, não se esqueça também de procurar profissionais especializados para realizar o procedimento com segurança, combinado?

Gostou deste artigo? Então, que tal seguir as nossas páginas nas redes sociais? Nós estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube. Esperamos você por lá com muitas novidades!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Agende sua avaliação